Homem encontrado boiando neste domingo (28) no Açude Velho tinha nome e história

Compartilhe esse artigo :

 

Fonte paraibadebate

Fonte Paraiba debate
O corpo de um homem que vivia em situação de rua, foi encontrado boiando no Açude Velho, na manhã deste domingo (28). Apesar de muita gente conhecê-lo na área, onde ele costumava estar com frequência, poucos sabiam o seu nome e muito menos a sua história. Wagner era mais um entre tantos dependentes de álcool que vivem à margem da sociedade.

Alheio à pandemia do coronavírus, ao uso de máscaras e as estatísticas de óbitos por Covid ou qualquer norma social, Wagner foi vítima de uma pandemia que nunca foi varrida da humanidade: o alcoolismo.

Mas encontrado no Açude Velho tinha nome, família e uma história, que segundo informações de uma irmã paterna foi marcada pela dependência alcoólica. “Ele chegou a ser recuperado mas voltou à essa vida, nunca quis casar, trabalhar em algo, só bebia e o fraco dele era o Açude Velho, a gente já temia que algo assim pudesse acontecer”.

Conhecido de muitas pessoas no local, Wagner não era uma ameaça para as pessoas, a não ser para ele mesmo que possivelmente sofria de algum transtorno psicológico não tratado que cedo o levou ao alcoolismo.

Segundo o Corpo de Bombeiros, no local havia uma garrafa de aguardente, o que leva a Polícia a supor que Wagner morreu afogado por estar embriagado. O corpo foi levado para o Numol para a realização de exames para a identificação da causa.









0/Postar um comentário / comentários

Deixe um comentário A baixo

Anúncio post 1

Anúncio post 2